Carnaval 2019: blocos de rua vão desfilar na área central de Brasília

A Secretaria de Cultura (Secult) do Distrito Federal anunciou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (23/1), a programação para o Carnaval 2019. Os desfiles dos blocos ocorrerão no Setores Carnavalescos: o Sul (Setor Comercial Sul), o Norte (Setor Bancário Norte e Praça dos Prazeres – 201 Norte) e Estádio Nacional Mané Garrincha. Fora do Plano Piloto, a folia ocorre no Taguaparque (Taguatinga) e Vila Buritis (Planaltina).

Nos quatro locais da área central da cidade, o governo promete montar uma estrutura para receber os blocos. A medida, de acordo com o secretário de Cultura, Adão Candido, visa atrair as agremiações e diminuir o impacto nas quadras residenciais.

O Governo do Distrito Federal (GDF) informou que o Carnaval 2019 custará R$ 4 milhões. Segundo os dados apresentados pela Secult, a expectativa é de 2 milhões foliões nas ruas, sendo 25 mil deles turistas vindos de outras partes do Brasil. A pasta também acredita gerar 3 mil empregos diretos com a folia.

No ano passado, o GDF, durante a gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB), gastou R$ 5 milhões no Carnaval. Desse total, R$ 525 mil foram destinados à contratação de 40 artistas locais. Em 2017, os custos foram R$ 2,3 milhões

Por enquanto, 55 blocos – de pequeno a grande porte – estão cadastrados para desfilar pelas ruas de Brasília. O número ainda pode aumentar até o início da folia, marcada para 1º de março. Os interessados em participar devem se inscrever até 1º de fevereiro.

Esta é a primeira vez que a gestão de Ibaneis Rocha (MDB) organiza o carnaval de Brasília. Nos últimos anos, a Folia no DF teve bons números de público. Em 2016, 1,5 milhão de pessoas foram às ruas e aos eventos privados da cidade. No ano de 2017, 1 milhão de foliões se divertiram. Ano passado, a cifra caiu para 750 mil.

Raparigueiros e Baratona: blocos são os mais populares do Carnaval de rua do DF

Mobilidade
Para facilitar a vida dos foliões, o governo promete aumentar a frota de ônibus e estender o funcionamento do Metrô até a meia-noite. Outra medida, é um circular para para facilitar deslocamento entre os Setores Carnavalescos.

De acordo com o secretário de Cultura, Adão Candido, o Carnaval traz boas oportunidades para a economia do DF. “A festa deve ser vista como instrumento de alavancar a economia. Será uma comemoração da diversidade e com mais segurança”, declarou.

Negociações
Na última sexta-feira (18/1), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) havia recomendado ao GDF que os órgãos envolvidos na promoção do Carnaval adotassem todas as medidas necessárias para a manutenção da segurança, a preservação do meio ambiente e do patrimônio público, o respeito aos direitos indisponíveis e o cumprimento da legislação.

Segundo o documento, feito pela Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão (PDDC) e as Promotorias de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb) e de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema), a definição dos locais de aglomeração também deve levar em conta as limitações da legislação relacionadas a horários, níveis de ruído e necessidade de circulação de pessoas e veículos.

Fonte: Metropoles
Author: Clara Campoli

Comentários estão bloqueados.