Cláudia Abreu fala sobre João de Deus: “Poderia ter sido vítima”

A atriz Cláudia Abreu, de 48 anos, utilizou suas redes sociais para refletir e protestar contra o médium João de Deus, acusado de abuso sexual por centenas de mulheres. “Sempre fui arredia às redes sociais, mas não posso deixar de falar sobre assédio”, escreveu ela em seu Instagram nessa quarta-feira (26/12).

Cláudia contou que esteve duas vezes na casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), sendo sempre bem recebida pelo médium e por sua família. Ela relatou que aceitou, contra sua vontade, segurar os instrumentos das cirurgias diante de uma multidão, prática comum entre celebridades que visitavam a casa.

Cláudia Abreu fala sobre João de Deus: “Poderia ter sido vítima”

Cláudia Abreu fala sobre João de Deus: “Poderia ter sido vítima”

11 FOTOS

1/11

Cláudia Abreu Divulgação

2/11

Cláudia Abreu se posicionou nessa quarta (26) em relação as denúncias contra João de Deus Divulgação/Reprodução/Instagram

3/11

João de Deus foi acusado de abuso sexual por mais de 300 mulheres Filipe Cardoso/Especial para o Metrópoles

4/11

Depois que os escândalos vieram à tona, o médium foi preso Filipe Cardoso/Especial para o Metrópoles

5/11

Ele se entregou à polícia após passar horas foragido Igo Estrela/Metrópoles

6/11

Ele está preso em uma unidade penitenciária de Aparecida de Goiânia Filipe Cardoso/Especial para o Metrópoles

7/11

Xuxa Meneghel também já visitou a casa Dom Inácio de Loyola Reprodução

8/11

Bruna Lombardi foi outra que publicou desabafo no Instagram sobre o ocorrido Reprodução/Instagram

9/11

A atriz não mediu suas palavras, deixando seus sentimentos saírem Reprodução/Instagram

10/11

“Estamos juntas, somos solidárias, ninguém tá sozinha. A gente consegue sim transformar a situação. A voz de uma é a voz de todas”, escreveu Lombardi Reprodução/Instagram

11/11

Oprah também frequentou a casa de João de Deus, porém se posicionou contra o médium após as denúncias Reprodução / Youtube

“Lá ficávamos todos vulneráveis. Ao mesmo tempo, isso me obrigava a legitimar alguém que eu mal conhecia”, disse a atriz. Cláudia chegou a levar sua filha de treze anos a casa do médium, e por isso, pensa que elas mesmas poderiam ter sido vítimas de abusos. “Poderíamos ter sido vítimas também caso eu não fosse conhecida. Isso me estarreceu.”

Veja a publicação de Cláudia Abreu:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Nem sei por onde começar. Sempre fui arredia às redes sociais, não tenho o hábito de postar muito sobre a minha vida cotidiana, nem de me posicionar sobre tudo a todo momento. Mas não posso deixar de falar sobre assédio. Demorei um tempo pra digerir a decepção que tive com João de Deus. Fui à Abadiânia duas vezes, fui bem recebida por ele, por sua família e sua equipe. Nunca fui totalmente crédula, mas como presenciei cirurgias feitas diante de todos, com cortes feitos na hora e sem dor, foi difícil não acreditar em algum poder mediúnico. Mesmo assim, é preciso estar sempre alerta aos sinais da sua intuição. Pessoas famosas eram sempre chamadas pra segurar os instrumentos das cirurgias diante de uma multidão. Fui convidada duas vezes e fui contrariada, pois era delicado dizer não. Lá ficávamos todos vulneráveis. Ao mesmo tempo, isso me obrigava a legitimar alguém que eu mal conhecia. Refletindo sobre esse meu desconforto, pensei nas inúmeras mulheres fragilizadas que foram convidadas a ir pra uma sala fechada e também foram obrigadas a fazer algo que não queriam. Levei minha filha, então com treze anos, e não me canso de pensar que poderíamos ter sido vítimas também, caso eu não fosse conhecida. Isso me estarreceu. Porque isso toca num lugar muito mais profundo, que é a descrença no ser humano, na bondade, na caridade. Muito triste.

Uma publicação compartilhada por Cláudia Abreu (@claudiaabreu_atriz) em

As denúncias contra João de Deus ganharam força depois do dia 7 de dezembro, quando diversas mulheres relataram, no programa Conversa com Bial, terem sido abusadas durante consultas com o médium. Portanto, ele foi preso no último dia 16, com mais de 300 denúncias.

Outras manifestações

Bruna Lombardi, atriz de 66 anos, também falou sobre sua visita a Abadiânia e sobre a repercussão das denúncias que vieram em seguida: “Dói pensar que foi preciso quinhentas mulheres para calar a voz de um homem. Dói pensar em um sistema conivente que fragiliza a tal ponto a posição da mulher, que ela se recolhe, com dor e vergonha”.

As apresentadoras Oprah Winfrey e Xuxa Meneghel também se posicionaram sobre o caso. “Infelizmente eu me enganei, e me enganei feio. Então estou vindo aqui para pedir desculpas a vocês, porque já divulguei o documentário dele e falei que era uma pessoa legal. Estou até um pouco envergonhada”, revelou a brasileira.

A atriz Camila Pitanga, antiga frequentadora do centro de João de Deus, contou pelo Instagram estar indignada e perplexa com tantas denúncias. “Ainda estou digerindo os depoimentos contundentes. Nos últimos anos frequentei a casa, e mesmo não tendo nada de negativo a relatar, o caso me choca com o crescente número de acusações”, disse.

“Queria deixar minha solidariedade às mulheres que trouxeram à luz esses acontecimentos inadmissíveis. Vocês não estão sozinhas. Com todo o meu amor”, continou a mensagem da atriz.

Até a jornalista Maria Cândia, que também frequentava a casa Dom Inácio de Loyola, afirmou estar “horrorizada” com a situação. “É muito mais do que covardia. Eu já estive lá, o conheci pessoalmente num momento em que eu buscava transformação e me ajudou muito ter estado lá. Mas esse abuso não pode existir”, relatou.

Fontes: Metrópoles
Author: Thais Moura

Comentários estão bloqueados.