GDF e governo federal oferecem 70 mil vagas em concursos para 2019

Haverá oportunidades em dezenas de áreas. Especialistas afirmam que a antecipação dos estudos é a chave para a aprovação

Os orçamentos sancionados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), trazem excelentes notícias para os concurseiros de Brasília. Somadas, as oportunidades chegam a quase 70 mil vagas – 48.224 federais e 21.172 distritais –, isso sem contar os processos seletivos de empresas públicas, que possuem autonomia para promover certames, pois contam com recursos próprios.

Para este ano, estão previstas seleções esperadas há muito tempo e com os salários mais sedutores do funcionalismo público brasileiro, como os do Legislativo federal. No Judiciário, outro setor com vagas muito disputadas e ótimas remunerações, haverá milhares de vagas, distribuídas entre tribunais superiores, Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs).

Diretor do Gran Cursos Online, Gabriel Granjeiro aposta que 2019 será o ano das carreiras de segurança pública, muito em razão do perfil do novo presidente. Na Lei Orçamentária Anual (LOA) sancionada por Bolsonaro, há mais de 11 mil vagas sem especificação de órgãos, ou seja, podem ser direcionadas conforme a necessidade. A Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) ganharão reforço de pessoal.

“Abriu a possibilidade de vagas para várias áreas e, agora, resta saber como o Ministério do Planejamento vai tratar as autorizações solicitadas pelos órgãos. A aprovação do Orçamento não é garantia, mas um sinal. É importante não deixar para a última hora. É muito difícil o candidato competir em alto nível se deixar para estudar apenas quando sai o edital”, orienta Granjeiro.

Para o diretor do preparatório para concursos, a escolha da rotina depende do foco da pessoa. “Se ela sabe que quer passar para um cargo em um órgão específico, deve se basear no último edital. Se o candidato tem ao menos a área definida, separa e estuda aquelas disciplinas comuns. Se o concurseiro ainda não definiu nem a área na qual quer trabalhar, deve estudar aquelas matérias comuns a quase todos os certames, como língua portuguesa, direito administrativo e direito constitucional”, aconselha.

Pedidos de órgãos
Conforme antecipou a coach e colunista do Metrópoles Letícia Nobre, do Vaga Garantida, Bolsonaro herdou 140 pedidos para a realização de concursos públicos. As solicitações foram encaminhadas ao Ministério do Planejamento em 2018 e, antes de uma eventual aprovação, devem passar por uma análise minuciosa, que inclui a avaliação de impacto financeiro e a real necessidade do órgão solicitante.

O número de vagas sancionado pelo governo federal é mais do que o dobro do previsto pelo projeto original encaminhado por Michel Temer (MDB) ao Congresso Nacional. A versão do ex-presidente estimava 21,4 mil postos, a maioria para cobrir vacâncias ocasionadas por aposentadorias ou morte. O texto, no entanto, foi modificado ao longo da tramitação e recebeu emendas de congressistas, multiplicando a previsão. Conforme divulgado na quarta (16/1), são 48.224 postos.

Caso semelhante ocorreu no Distrito Federal. O então governador Rodrigo Rollemberg (PSB) encaminhou à Câmara Legislativa do DF um Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) com pouco mais de 2,5 mil previsões de novas vagas.

Durante a tramitação do PLDO, deputados adicionaram 18.579 previsões de nomeação. Entre idas e vindas, o acréscimo foi vetado por Rollemberg, teve o veto derrubado pelos distritais e acabou sancionado com 21.172 cargos futuros por Ibaneis Rocha.

Forças de segurança
No texto sancionado por Bolsonaro, há previsão de reforço na segurança do Distrito Federal. A expectativa é que as polícias Civil e Militar, bem como o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, promovam seleções em breve. Ibaneis quer editais ainda em janeiro, conforme noticiou o Metrópoles na ocasião do lançamento do programa SOS Segurança, na sexta-feira (11) passada.

JP RODRIGUES/METRÓPOLES

JP Rodrigues/Metrópoles

Pin this!

PMs na Praça do Buriti

Ao todo, o Orçamento do país para 2019 conta com R$ 3,38 trilhões para investimentos, sendo R$ 351,35 bilhões voltados ao custeio de gasto com pessoal, incluindo os recursos para inativos e pensionistas.

Confira a previsão de concursos federais

Para o Poder Legislativo, as vagas podem ser divididas da seguinte forma:

  • Câmara dos Deputados – 127 cargos a serem criados e 197 para provimento, totalizando 324 cargos
  • Senado Federal – 40 provimentos de cargos
  • Tribunal de Contas da União (TCU) – 20

Para o Poder Judiciário estão previstos 2.973 cargos, sendo 1.047 para criação e 1.926 para provimento. Essas vagas estão distribuídas da seguinte forma:

  • Supremo Tribunal Federal (STF) – 38 cargos
  • Superior Tribunal de Justiça (STJ) – 50 cargos
  • Tribunal Regional Federal (TRF) – 925 cargos, sendo 625 para criação e 300 para provimento
  • Superior Tribunal Militar (STM) – 30 cargos
  • Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Tribunal Regional Eleitoral (TRE) – 1.240 cargos, sendo 370 para criação e 840 para provimento
  • Tribunal Superior do Trabalho (TST) e Tribunal Regional do Trabalho (TRT) – 684 cargos, sendo 52 para criação e 632 para provimento
  • Conselho Nacional da Justiça (CNJ) – 6 cargos

Já para o Poder Executivo será disponibilizada a maior quantidade de vagas: são 42.818 cargos, sendo 2.095 para criação e 40.723 para provimento.

Dessas vagas, 11.493 são para cargos e funções vagos sem especificações de órgãos, com isso a expectativa é que sejam feitos concurso para Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Departamento Penitenciário (Depen), e também um novo concurso da Polícia Rodoviária Federal, conforme anunciado pelo diretor-geral da corporação.

Ainda de acordo com o documento, 22.559 vagas são para provimento de professores e técnicos administrativos em educação, de institutos e universidades.

Outros órgãos também serão contemplados, são eles:

  • Ministério Público da União (MPU) – 10 vagas
  • Conselho Nacional do MPU – 2 vagas
  • Defensoria Pública da União (DPU) – 2.032 vagas

Confira as oportunidades previstas pelo Executivo e pelo Judiciário do DF, além das forças de segurança:

Daniel Ferreira/MetrópolesPin this!

DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

Polícia Militar do DF – 947 provimentos
Polícia Civil do DF – 700 provimentos
Corpo de Bombeiros Militar do DF – 379 provimentos

Secretaria de Fazenda – A Sefaz-DF contratou o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) para organizar o seu próximo concurso. Serão ofertadas 120 vagas para o cargo de auditor-fiscal da Receita. A previsão é que o edital seja publicado em janeiro de 2019. A remuneração inicial é de R$ 14.970, e a jornada de trabalho é de 40 horas semanais. Com a progressão na carreira, a remuneração pode chegar a R$ 22.196,62. Os interessados precisam ter diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior devidamente registrado.

Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão – O aguardado concurso para a Seplag será lançado até abril de 2019. O certame ofertará 750 vagas, sendo 250 imediatas e 500 para cadastro de reserva, distribuídas entre os cargos de técnico e analista de políticas públicas e gestão governamental. O nível de escolaridade exigido é superior, para qualquer área – requisito da lei que criou a carreira. Os salários variam entre R$ 4,4 mil e R$ 9 mil.

Serviço de Limpeza Urbana – O SLU definiu que o Cebraspe será o responsável por organizar o seu próximo concurso. O edital, a ser lançado nesta semana, contará com 50 vagas imediatas e 100 para formação de cadastro de reserva para o cargo de analista de gestão de resíduos sólidos. O vencimento inicial do cargo é de R$ 5.070.

Secretaria de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos – O edital para o concurso da Sedest-DF oferta 314 vagas imediatas e formação de cadastro de reserva de 1.570 para os cargos de especialista em assistência social e técnico em assistência social. As inscrições estão abertas até o dia 24 de janeiro de 2019.

Departamento de Estradas de Rodagem – O DER-DF deve realizar novo concurso público em 2019. A previsão é que sejam ofertadas 289 vagas, sendo 41 para a carreira de analista de atividade rodoviária, 134 para técnico de atividades rodoviárias, 60 para agente de trânsito rodoviário e 54 para agente de atividades rodoviárias. Salários a partir de R$ 3.166,72.

Procuradoria-Geral do DF – A PGDF criou um grupo de trabalho para elaboração do projeto básico destinado à contratação da instituição que ficará responsável pela realização do concurso público para provimento de cargos de analista jurídico e de técnico jurídico. Serão ofertadas 57 oportunidades para analista jurídico e 43 para técnico jurídico. A remuneração inicial é de até R$ 7,3 mil.

Defensoria Pública do DF – A DPDF escolheu o Cebraspe como organizador do seu próximo concurso público. Serão ofertadas sete vagas e haverá formação de cadastro de reserva. Atualmente, a classe inicial da carreira de defensor público tem remuneração inicial de R$ 22.589,59 e jornada de trabalho de 30 horas semanais.

Controladoria-Geral do DF – A CGDF criou comissão organizadora do próximo concurso para o órgão. Um documento revela que as vagas serão reservadas para as carreiras de auditor de controle interno, que exigem diploma de nível superior.

Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal – Foi formada a comissão para o próximo concurso da Adasa. Assim, a previsão é que o certame seja publicado em 2019. Devem ser ofertadas 18 vagas para a carreira de regulador de serviços públicos e sete para técnico de regulação de serviços públicos. Os aprovados no concurso terão remuneração inicial que varia de R$ 4 mil, para técnico, a R$ 9,2 mil, para regulador. Já no topo da carreira, os servidores receberão R$ 5.667,59 e R$ 13.035,46, respectivamente, além de gratificações.

Secretaria das Cidades – A pasta realizará novo concurso público em 2019. A comissão do certame já foi formada. De acordo com um documento publicado no Diário Oficial do DF, serão ofertadas vagas nos cargos de analista e técnico da carreira planejamento e gestão urbana e regional do Distrito Federal.

Subsecretaria do Sistema Penitenciário – Foi aprovada a lei que cria 1.400 vagas para a carreira de agente penitenciário na Sesipe. O salário previsto no último concurso era de R$ 5,4 mil.

Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil – A Novacap rescindiu o contrato com a banca Inaz do Pará, responsável pela organização do certame. O processo seletivo, com 76 mil candidatos inscritos, foi adiado quatro vezes. As inscrições podem ser reabertas.

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – O TJDFT está estudando a realização do seu próximo concurso. De acordo com um documento publicado no site do órgão, o novo concurso poderá ofertar oportunidade para preencher os 296 cargos vagos para as carreiras de técnico e analista judiciário. O tribunal também já definiu o Cebraspe como responsável para o concurso que proverá vagas, em quatro cartórios do DF, para o cargo de notário. Em janeiro de 2019, um analista judiciário do TJDFT passará a ter remuneração de R$ 12.455,30. Já um técnico judiciário deve passar a ganhar R$ 7.591,39.

Tribunal de Contas do Distrito Federal – Os próximos concursos do TCDF devem ofertar 14 vagas, nas carreiras de: procurador (1), auditor de controle externo (7), técnico de administração pública (3) e analista de administração pública (3). Os salários variam de R$ 10,2 mil a R$ 27,4 mil.

Fonte: Metrópoles

FERNANDO CAIXETA

Comentários estão bloqueados.