Momo, o que é a criatura, como surgiu, onde e por que voltou à internet

Um novo personagem da internet está assustando os pais. Momo, como é conhecida a “boneca assassina”, aparece nos vídeos infantil do YouTube do nada e manda que crianças se matem, se cortem e agridam os pais. Como se não bastasse, a boneca ainda ensina métodos para se fazer.

Apesar do YouTube negar a existência desse tipo de vídeo no canal, diversas pessoas denunciaram o caso. O alerta surgiu ao ser disparado uma corrente no Whatsapp falando sobre os vídeos, e mostrando trechos do mesmo.

Momo já aterrorizou a internet em 2016, como você já conferiu por aqui, nesse outro post.

Onde surgiu a Momo?

Momo é uma lenda urbana de um ser sobrenatural, um demônio.

A espécie de mulher pássaro era uma escultura que pertencia ao museu Vanilla Galleru em Tóqui, Japão. Ao passar dos anos a boneca que era feita de borracha e óleos naturais foi se deteriorando.

Alguém se aproveitou do que sobrou da escultura e começou a usar como personagem de terror na internet.

YouTube nega

O Youtube nega que algum vídeo tenha apresentado este conteúdo. Argumenta ainda que a corrente de alerta aos pais passadas via WhatsApp é para gerar pânico e limitar os usuários a assistirem aos vídeos do canal.

O Youtuber Felipe Neto se manifestou dizendo:

“Momo é hoax, que é quando muita gente acredita numa mentira da internet e transforma a mentira quase em uma realidade.”

O Google afirma que não há vídeos circulando no YouTube Kids com esse tipo de conteúdo.

Repercussão

No início do ano, o Reino Unido se mobilizou contra conteúdos que haviam a personagem Momo.

Várias escolas e a polícia ficaram alarmadas, após descobrirem que o conteúdo estava aparecendo para as crianças e elas estavam mudando radicalmente de comportamento.

Antes do caso entrar em estado de alerta, a pediatra norte-americana Free Hess havia postado que uma mãe havia encontrado conteúdos do tipo no YouTube Kids. Ela disse:

“Não há muita coisa que me choque. Eu sou médica, trabalho no departamento de emergência e já vi de tudo. Mas isso chocou.”

Segundo ela, o vídeo foi removido após denunciar. Porém o YouTube mais uma vez nega, e diz não haver evidências de que o vídeo existiu.

Momo no Brasil

No Brasil várias blogueiras se pronunciaram sobre o assunto. Uma delas é a professora e produtora de conteúdo Juliana Tedeschi Hodar, de 41 anos. Juliana fez um vídeo onde a filha chorava ao terem uma conversa sobre a boneca.

Outra blogueira e mãe que se pronunciou, foi Camina Orra:

“Quando conversamos com as crianças sobre isso, tivemos ciência que minha filha já tinha pânico desse personagem há meses e não falou nada. Ela tinha medo que a Momo pegasse a gente.”

Ela afirma que pelo o que apurou da filha, ela teria visto o vídeo a cerca de três meses.

“Uma mãe fez um vídeo chorando porque ela tinha certeza de que a filha ia dizer que não sabia quem era e a criança disse que era a Momo. Ela falou que a filha já faz algumas semanas tem medo de ir ao banheiro, de dormir ou fazer alguma coisa sozinha. E ela não sabia o porquê. Quando viu meu aviso, foi correndo perguntar para a menininha se ela sabia quem era. E ela falou que era a Momo e a tinha visto no YouTube.”

Orientação aos pais

Psicólogos alertam que o compartilhamento faz o alcance do tema e o pânico aumentarem. Pedem ainda que nunca mostre o vídeo as crianças, mas que as alerte sobre o perigo da internet.

Caso o assunto apareça em casa, seja sincero com a criança explicando que a personagem é um escultura que usaram para fazerem maldada na internet. E que por trás da personagem existem pessoas reais com más intenções.

Verdade ou mentira, fica aí o alerta aos pais para que vigiem o que sua criança anda vendo no YouTube.

Veja também: Bullying, o que realmente significa o termo bullying?

Fonte: Uol

Imagens: magg, pleno.news, osollo, Uol

O post Momo, o que é a criatura, como surgiu, onde e por que voltou à internet apareceu primeiro em Segredos do Mundo.

Fonte: Amenteemaravilhosa / Tudointeressante/ Gadoo / segredosdomundo.r7
Author: Marcela Fernandes

Comentários estão bloqueados.