fbpx
Cidades

Prefeita de esquerda é sequestrada e agredida pela direita boliviana – Portal Vermelho


O crime ocorreu na região central de Cochabamba, onde houve vários atos de violência promovidos pela direita, apoiados por Luis Fernando Camacho, dirigente do Comitê Pró-Santa Cruz, principal promotor de protestos violentos contra os resultados das eleições realizadas em 20 de outubro e vencidas pelo presidente Evo Morales .

Um grupo de oposição de direita, chamado “Resistência Cochala”, sequestrou e agrediu violentamente a prefeita de Vinto, Patricia Arce. Ela é filiada ao Movimento ao Socialismo (MAS), partido do presidente Evo Morales. Os opositores de direita também queimaram a sede da prefeitura.

A prefeita foi arrastada pela rua, forçada a caminhar até Huayculli, em Quillacollo, onde foi posta sobre uma plataforma para cortarem seus cabelos e pintá-la de vermelho. Os agressores, muitos deles jovens, com paus e pedras, a insultaram e a forçaram a dizer que deixaria o cargo.

“Se me perguntarem, se os movimentos vierem e me pedirem para sair, irei ”, disse a prefeita, visivelmente angustiada e chorando, em um vídeo que circulou nas redes sociais.

Arce, ao ser segurada pelo pescoço e atacada, disse que estava disposta a dar sua vida pelo processo de mudança liderado por Evo Morales. “Não tenho medo de dizer a verdade. Estou em um país livre. E não vou calar a boca e se eles querem me matar, eles me matam. A esse processo de mudança, darei minha vida ”, diz ela no vídeo.

A prefeita foi resgatada pela polícia na ponte Huayculi, após quatro horas de suportar agressões daqueles opositores de direita. O comandante da polícia regional, Walter Alvis, a recebeu em uma van que foi atacada a pedradas.

Parlamentares denunciaram também, nesta quarta-feira (6), agressões praticadas por grupos direitistas contra mulheres, na região de Cochabamba. Exibiram um vídeo sobre o caso da prefeita de Vinto, Patricia Arce, e as mulheres que marcharam naquela cidade onde crianças e jovens foram atacados.

Veja o vídeo em que a prefeita responde às agressões que sofreu:

 Fonte: Indymedia/Argentina

Tradução: José Carlos Ruy

  • IMPRIMIR

Leia Mais

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar