Sem servidores, Procon interrompe atendimento em postos do DF

Os brasilienses que precisaram recorrer ao Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) no segundo dia do ano deram de cara com as portas fechadas. De acordo com os próprios funcionários do Na Hora, onde funciona o órgão, os antigos funcionários não compareceram para trabalhar nesta quarta-feira (2/1).

Eles suspeitam que a ausência dos profissionais seja resultado das exonerações publicadas no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) na terça-feira (1º/1). Em um dos pontos mais movimentados da capital, na Rodoviária do Plano Piloto, o Procon não estava funcionando, segundo informou o vigilante da unidade ao Metrópoles.

O chamado “decretão” exonerou todos os servidores comissionados sem vínculo do Governo do Distrito Federal (GDF). O ato assegurou a manutenção apenas dos cargos de livre provimento na Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Casa Civil, Casa Militar, Procuradoria-Geral, Subsecretaria de Atos Oficiais, Defensoria Pública e Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev).

Na terça-feira, só foram nomeados 29 secretários de Estado. Os demais cargos continuam vagos enquanto não saírem as novas nomeações.

Reclamações
O “sumiço” dos servidores frustrou quem se programou para ir ao Na Hora da Rodoviária. É o caso da advogada Ana Maria Gomes, 56 anos. “Tinha um problema para resolver e não vim durante o Natal prevendo que estivesse um caos. Hoje, chego e não consigo ser atendida, pois não tem funcionário. É um descaso.”

O estudante Pedro Teixeira Melo, 28, por sua vez, criticou a falta de planejamento. “Eles sabiam que as exonerações poderiam ocorrer e mesmo assim não se prepararam para tal. Nem ao menos emitiram um aviso para a população, lamentável”, disse. 

Sem servidores, Procon interrompe atendimento em postos do DF

Sem servidores, Procon interrompe atendimento em postos do DF

2 FOTOS

1/2

Fila do Detran tem espera de até duas horas para atendimento Material cedido ao Metrópoles

2/2

No Na Hora do Riacho Fundo, o atendimento também precisou ser suspenso por falta de servidores Material cedido ao Metrópoles

Quem procurou o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) também reclamou da falta de servidores. Usuários relataram ter esperado ao menos duas horas para serem atendidos. No Na Hora do Riacho Fundo, o atendimento também precisou ser suspenso por falta de servidores.

Procuradas pela reportagem, a assessoria de imprensa do Procon e da Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania não haviam se pronunciado até a última atualização deste texto.

Fonte: Metropoles
Author: Victor Fuzeira

Comentários estão bloqueados.