Uma escola parque para Taguatinga

O professor Juscelino Carvalho quer transformar um antigo clube de Taguatinga em uma escola modelo /Foto: Renato Araújo/Agência Brasília


O professor Juscelino Nunes de Carvalho trabalha, há 26 anos, na rede de ensino pública do Distrito Federal. Concursado, ele já deu aulas de geografia no Centro de Ensino Médio Ave Branca (Cemab), em Taguatinga. Foi diretor daquela escola e administrou, por vários anos, mais de três mil alunos nos três turnos.  Juscelino assume pela quinta vez consecutiva a coordenação da Regional de Ensino de Taguatinga. Em entrevista à Agência Brasília, ele diz que vai se dedicar à aproximação com os orientadores pedagógicos para melhorar o processo de aprendizagem dos alunos. Outra meta do professor é levar para Taguatinga uma escola parque modelo para atender aos milhares de estudantes da rede com atividades esportivas, artes e teatro.

Quais as principais dificuldades da rede de ensino pública em Taguatinga?

Em nossas primeiras gestões, buscamos apoio da Secretaria de Educação e de emendas parlamentares para restaurar as escolas e fazer alguns reparos. Tínhamos de superar essas questões estruturais, e foi o que fizemos. Agora, vamos focar no reforço às questões pedagógicas. Nossa ideia é concentrar todos os profissionais no aprendizado dos estudantes. Assim, como consequência, teremos melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica [Ideb].

Queremos montar grupos com os anos iniciais, finais e de ensino médio para facilitar a troca de experiências”

Como o senhor pretende alcançar esse objetivo?

Vamos nos aproximar dos orientadores pedagógicos, trazê-los para mais próximo da regional. Queremos montar grupos com os anos iniciais, finais e de ensino médio para facilitar a troca de experiências. Assim, teremos uma conversa mais íntima com os professores também. O coordenador pedagógico é a pessoa mais próxima do professor, mais próxima que o próprio diretor. Com a ajuda deles, podemos melhorar o que já está indo bem e aperfeiçoar as situações que precisam de ajustes.

Qual o legado que o senhor deseja deixar nesta gestão?

Vamos trabalhar em várias frentes para atender às metas da secretaria e melhorar o atendimento ao estudante. Entre as propostas, vamos trabalhar para criar pelo menos uma escola parque em Taguatinga, porque até hoje não temos nenhuma. Queremos usar o espaço abandonado, alvo de muito problemas, que é o antigo Clube Primavera. Vamos solicitar a área para transformar o antigo clube em uma escola parque, para que os alunos possam, em turno contrário, praticar esportes. E, nos fins de semana, o clube poderá voltar para a comunidade com atividades lúdicas, teatro, atividades esportivas, assim como as unidades do Plano Piloto.

Fontes: Politicadistrital / Capitaldoentorno / Metropóles
Author: Renata Moura, da Agência Brasília

Comentários estão bloqueados.